Pular para o conteúdo principal

O novo acordo ortográfico

Em 29/9, na sede da ABL (Academia Brasileira de Letras), o presidente Lula assinou o decreto que determina o cronograma de implantação do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.
Criado em 1990 por lexicógrafos portugueses e brasileiros, o acordo propõe a unificação da forma de escrever algumas palavras. Ele não abrange todas as diferenças ortográficas, mas já representa um avanço significativo.
O acordo entrará em vigor em 1º/1/2009 e o período de transição será de três anos. As regras atuais e as novas coexistirão até o fim de 2012. Depois disso, só será aceita como correta a ortografia do novo acordo.
Neste mês, a coluna “Língua portuguesa” apresenta e explica o que muda. Hoje, fique sabendo sobre as letras que voltam a integrar nosso alfabeto.
Letras do alfabeto
Voltam oficialmente as letras K, W e Y, que, de fato, nunca tinham saído. O alfabeto ficará assim: A, B, C, D, E, F, G, H, I, J, K, L, M, N, O, P, Q, R, S, T, U, V, W, X, Y, Z.

Comentários

Fernanda disse…
Apesar das regras do acordo ortográfico entre os países de Língua Portuguesa, tenho dúvidas sobre o emprego do hífen nas palavras dia-a-dia e guarda-roupa. Será que alguém poderia me esclarecer a grafia correta dessas duas palavras?

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

"Nada de mais" ou "nada demais"?

A primeira forma é a correta.Nada de mais, nada de menos. Não: nada "demenos". É preciso ficar com o "de": nada de interessante, nada de importante, nada de blablablá. O "de" não é de "demais". Demais é um advérbio que significa demasiadamente, em excesso, além da conta. Não parece fazer sentido: "Isso não é nada de em excesso". Já parece fazer sentido: "Isso não é nada de mais". Mais uma: Há a locução "por demais", que significa demasiadamente, excessivamente. Vale lembrar da frase exclamativa: Isso é demais! Nesse caso, é "demais", junto assim. Não temos aqui o "nada de". Temos aqui o "isso é". Isso é demais, é incrível, é complicado, é, às vezes, difícil de explicar.
Veja neste blog a diferença entre "demais" e "de mais".