Pular para o conteúdo principal

Nova ortografia 1

Depois de ler na coluna anterior o que muda no alfabeto, leia hoje sobre o acento diferencial e o trema.
Acento diferencial
O acento diferencial de pára, pêra, péla, pêlo, pólo deixa de existir. Mas alguns acentos diferenciais permanecem.
O de pôde, pretérito perfeito do verbo poder, para diferenciá-lo da forma do presente.
O de pôr, verbo, para diferenciá-lo de por, preposição.
E permanecem também os acentos que marcam a diferença entre singular e plural dos verbos ter e vir (e derivados) no presente. Exemplos: ele tem, eles têm; ele vem, eles vêm; ele mantém, eles mantêm; ele intervém, eles intervêm.
Trema
O trema (¨) deixa de ser escrito sobre a letra U quando esta é pronunciada nas sílabas gue, gui, que, qui.
Exemplos: ambiguidade, Anhanguera, cinquenta, equestre, frequência, liquidificador, sanguíneo, sequestro, tranquilo.
Mas ele permanece em palavras estrangeiras e em suas derivadas. Exemplos: Hübner e hübneriano.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

‘Idéia de girico’ ou ‘idéia de jerico’?

A segunda forma é a correta. Apesar de não se aproximar tanto da fala como “girico”, palavra inexistente na língua portuguesa, jerico significa asno, jumento. No entanto, na fala é usada principalmente com o sentido de tolo, imbecil, estúpido – e pode ser dito a pessoas e coisas. Exemplo: “Ele sempre tem idéias de jerico”.