Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2013

Marmitex

Palavra que está espalhada por muitos lugares (pelo menos no Estado de São Paulo), mas não consta em algumas importantes obras de consulta da língua portuguesa no Brasil. Volp, Houaiss on-line e Michaelis on-line desconhecem. O iDicionário Aulete registra assim:

a2g2n = adjetivo de dois gêneros e de dois números (sua forma vale tanto para feminino quanto para masculino e tanto para singular quanto para plural – não varia)
sm2n = substantivo masculino de dois números (não varia em número: igual para singular e para plural)

Exemplos: O pote marmitex tem boa vedação e não deixa vazar o molho. O marmitex grande custa R$ 12,00. Ele entregará os marmitex ao meio-dia e meia.

Curiosidade: Marmitex em MG é assunto para o blog Revisão, por favor!

Tencionar ou tensionar?

As duas palavras estão corretas, mas não significam a mesma coisa.
Tensionar, escrito com "s", tem o sentido de imprimir força ou realizar esforço para deixar algo estendido ou retesado. Exemplos: "a corda ficou tão tensionada que se rompeu", "o corredor tensionou a musculatura das pernas". Tensão é o substantivo relacionado a esse verbo. E quem nunca passou por um momento tenso na vida?
Já tencionar, com "c", significa ter intenção, intentar, projetar, planejar. Exemplo: "tenciono viajar durante três meses no ano que vem". No âmbito jurídico, tencionar é o ato de o juiz escrever seu voto ou tenção em um processo judicial, conforme explica o dicionário Houaiss.

Desmistificar ou desmitificar?

As duas palavras existem, mas têm sentidos diferentes.
Desmistificar, com "s" antes do "t", tem origem em místico. Já desmitificar, em mito.
Desmascarar, revelar, tirar o caráter de místico ou de mistério sobre algo ou alguém é desmistificar. Exemplos do Houaiss: "desmistificar a ciência"; "desmistificar um charlatão".
Banalizar, tirar o caráter de mito (lenda, fábula, mitologia, alegoria) de um personagem ou entidade é desmitificar. Exemplos do Houaiss: "destimificar um personagem histórico"; "maus professores desmitificam a figura do educador".


Extático ou estático?

As duas formas são registradas pelos dicionários.
Extático, com x, é o adjetivo relacionado ao substantivo êxtase. É o que está em êxtase, maravilhado, encantado, enlevado. Também é o que foi causado por êxtase ou que envolve êxtase. Exemplo do Houaiss: "forte emoção extática".
Estático, com s, é o que está parado, imóvel, sem movimento; ou sem atividade, paralisado. Exemplos do Houaiss: "ficou estático, em estado contemplativo, a meditar" e "empresa estática".
Extático e estático são homônimos, isto é, a pronúncia é idêntica, mas o significado não.

O toalete ou a toalete?

As duas são possíveis, mas há diferenças no significado.
O toalete refere-se ao banheiro, ao "aposento sanitário", de acordo com o Houaiss.
A toalete, de acordo com o mesmo dicionário, pode ser o ato de se lavar, pentear, maquilar e vestir para determinadas ocasiões; pode ser o vestuário (geralmente o feminino); e pode ser ainda a raspagem de pelos de partes do corpo a serem operadas.
O Volp não registra toalete como substantivo masculino, mas esse uso já muito difundido.

"Tratar sobre"

Atendendo ao pedido da Angelina Rodrigues Mota, comento a regência que lhe causa dúvida: tratar sobre.

O dicionário de regência verbal do Luft registra a forma "tratar sobre" com o mesmo sentido de "tratar de" e comenta: "A regência primária é tratar de; a prep. sobre aparece por causa dos traços 'referência, assunto', 'base': cf. falar, discorrer, debate... sobre...".*

Falar sobre, discorrer sobre e debater sobre influenciaram a regência do verbo tratar, criando um tratar sobre (que faz sentido e entendemos bem). Esse fenômeno já foi identificado pelos gramáticos e registrado em dicionários — aparece no Houaiss e em outras obras de consulta. Assim, podemos considerar uma regência aceitável pela norma culta.

Além da preposição "sobre", pode-se usar "de", "com" e "por", dependendo do sentido atribuído ao verbo em questão.


* LUFT, Celso Pedro. Dicionário prático de regência verbal. São Paulo: Ática, 20…

"Oque" ou "o que"?

A segunda forma é a correta.
O que dizer da forma "oque"? Até agora não sei. Passei muitos meses olhando para esse rascunho de postagem sem saber o que dizer.
Que não existe? O quê? E isso lá é argumento? Existe sim, já vi escrito.
Que "o que" pode ser substituído por "aquilo que" – e nunca vai ser escrito "aquiloque". Será que assim ajuda?
Só criei essa postagem porque vi algumas pessoas escrevendo tudo junto... algumas vezes. Constatei: tem muita gente achando que é uma palavra só! :-O
O que acontece? Não sei.
Será que a gente fala e escreve tanto o que vem na cabeça, que soa como uma palavra só?
Ai, crise existencial.

Só nesse post, 6 vezes escrevi "o que". Sete. Que overdose de "o que". Oito.