Pular para o conteúdo principal

Nova ortografia 3

Leia hoje sobre as regras do hífen e no dia 2/11 sobre suas exceções.
O hífen com prefixos e elementos que podem funcionar como tal passa a ter uma regra básica e menos exceções. O que define se há hífen é a letra final do prefixo e a letra inicial da palavra que o recebe.
Regra básica
Há hífen antes de palavras que começam com a letra H.
Exemplos: co-herdeiro, mini-hotel. A exceção é subumano.
Prefixos com vogal no fim
Diante de palavras que começam com vogais: sem hífen diante de vogal diferente (autoescola, antiaéreo); com hífen diante de vogal igual (micro-ondas, contra-ataque).
Diante de consoantes: sem hífen (seminovo). Quando começar por R ou S, estas serão dobradas (ultrassom).
Prefixos com consoante no fim
Diante de palavras que começam com vogais: sem hífen (superinteressante, interestadual).
Diante de consoantes: com hífen diante de consoante igual (inter-regional); sem hífen diante de consoante diferente (supersônico).

Comentários

ClebEr disse…
Sendo assim a palavra email, agora se escreve junto?
Telma Iara disse…
Senhor ClebEr, retirei seu comentário com palavras mal-educadas devido a uma pergunta não respondida. Não é assim que se procede na Internet. Este espaço de comentários, como o próprio nome diz, é para comentários. O senhor pode esclarecer suas dúvidas por meio do serviço Tira-Dúvidas oferecido pelo site www.escrevamelhor.com.br. Há uma propaganda desse site aqui ao lado, no menu. Se custa responder? É claro que custa. Perguntar a um profissional algo sobre o trabalho dele custa sim. Mas certamente o senhor achará em outros sites alguém que responda gratuitamente.

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

"Nada de mais" ou "nada demais"?

A primeira forma é a correta.Nada de mais, nada de menos. Não: nada "demenos". É preciso ficar com o "de": nada de interessante, nada de importante, nada de blablablá. O "de" não é de "demais". Demais é um advérbio que significa demasiadamente, em excesso, além da conta. Não parece fazer sentido: "Isso não é nada de em excesso". Já parece fazer sentido: "Isso não é nada de mais". Mais uma: Há a locução "por demais", que significa demasiadamente, excessivamente. Vale lembrar da frase exclamativa: Isso é demais! Nesse caso, é "demais", junto assim. Não temos aqui o "nada de". Temos aqui o "isso é". Isso é demais, é incrível, é complicado, é, às vezes, difícil de explicar.
Veja neste blog a diferença entre "demais" e "de mais".