Pular para o conteúdo principal

Nova ortografia 2

Leia hoje as alterações na acentuação de algumas palavras.
Idéia vira ideia
Os ditongos abertos éi e ói das paroxítonas (tônica na penúltima sílaba) não são mais acentuados. Exemplos: apoia, colmeia, Coreia, estreia, geleia, heroico, joia, plateia.
Feiúra vira feiura
O I e o U tônicos que seguem o ditongo de uma paroxítona não são mais acentuados. Exemplo: baiúca.
Argúem vira arguem
Deixa de existir o acento agudo do U tônico nas formas do presente do indicativo (e imperativo) dos verbos arguir e redarguir. Exemplos: ele argui, eles arguem.
Vôo vira voo
Palavras terminadas em êem e ôo(s) perdem o acento circunflexo. Exemplos: leem, doo, enjoo, zoo.
Enxagúo vira enxaguo
Verbos terminados em guar, quar e quir, como aguar, enxaguar, obliquar e delinquir, perdem o acento no U quando este é tônico. Exemplo: enxaguo.
Quando o A e o I forem tônicos, as formas devem ser acentuadas. Exemplo: enxáguo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

‘Idéia de girico’ ou ‘idéia de jerico’?

A segunda forma é a correta. Apesar de não se aproximar tanto da fala como “girico”, palavra inexistente na língua portuguesa, jerico significa asno, jumento. No entanto, na fala é usada principalmente com o sentido de tolo, imbecil, estúpido – e pode ser dito a pessoas e coisas. Exemplo: “Ele sempre tem idéias de jerico”.