Pular para o conteúdo principal

Câmpus

Sim, escrevi com acento. Não, não escrevi a palavra latina “campus”, escrevi sua forma aportuguesada, que tem acento circunflexo. Seu plural é câmpus também, assim como bônus e vírus, iguais no singular e no plural.
As duas formas, tanto a latina “campus” (plural “campi”) como a portuguesa câmpus, são usadas e aceitas hoje em dia. É uma questão de preferência. No entanto, a forma latina ainda é mais freqüente.
Em tempo: câmpus significa o espaço físico de uma universidade.
Curiosamente, câmpus veio da forma latina “campus” pelo inglês. Nesta língua, a palavra tem dois plurais: o que veio do latim, “campi”, e o criado pelo inglês mesmo, “campuses”. Ao importarmos a palavra, optamos por ficar só com as formas latinas, que são bem mais a cara do português.
Por terem essa semelhança com a nossa língua, visto que o português veio do latim, “campus” e “campi” facilmente são aportuguesadas sem causar tanto estranhamento. Escreva sem medo.

Comentários

Cadê o Revisor? disse…
Pena que o Ministério da Educação usa a forma latina. Eu prefiro a aportuguesada, mas sou obrigado, em meu ofício, a usar o que eles preferem. Um dia ainda os convenço do contrário.

Beijo,

Pablo
http://cadeorevisor.wordpress.com

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

"Nada de mais" ou "nada demais"?

A primeira forma é a correta.Nada de mais, nada de menos. Não: nada "demenos". É preciso ficar com o "de": nada de interessante, nada de importante, nada de blablablá. O "de" não é de "demais". Demais é um advérbio que significa demasiadamente, em excesso, além da conta. Não parece fazer sentido: "Isso não é nada de em excesso". Já parece fazer sentido: "Isso não é nada de mais". Mais uma: Há a locução "por demais", que significa demasiadamente, excessivamente. Vale lembrar da frase exclamativa: Isso é demais! Nesse caso, é "demais", junto assim. Não temos aqui o "nada de". Temos aqui o "isso é". Isso é demais, é incrível, é complicado, é, às vezes, difícil de explicar.
Veja neste blog a diferença entre "demais" e "de mais".