Pular para o conteúdo principal

Concordância com idéias

É difícil acertar todas ao escrevermos idéias com a gramática das palavras. Idéias de coletividade expressas por uma palavra no singular e vice-versa suscitam a confusão na hora da concordância.

Leia estes dois casos retirados das páginas do BOM DIA:

1. “No apartamento foram encontrados um arsenal.” (texto)
2. “Casos de meningite supera 2007” (título de nota)

Em 1, o verbo está no plural, mas o sujeito, que tem sentido de conjunto de armas, é singular. Erro.

Em 2, o sujeito é plural, mas o verbo está no singular. Erro também. Casos superam. No entanto, percebemos que quem escreveu pensou algo assim: “2008 supera 2007 nos casos de meningite, logo, casos de meningite de 2008 supera 2007”. Até explica, mas não justifica.

Além da concordância, há outro erro. Falta paralelismo ao comparar casos de 2008 com o ano de 2007, não com os casos de 2007. O título deveria ser: “Casos de meningite superam os de 2007”.

Para não errar, releia sempre.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

‘Idéia de girico’ ou ‘idéia de jerico’?

A segunda forma é a correta. Apesar de não se aproximar tanto da fala como “girico”, palavra inexistente na língua portuguesa, jerico significa asno, jumento. No entanto, na fala é usada principalmente com o sentido de tolo, imbecil, estúpido – e pode ser dito a pessoas e coisas. Exemplo: “Ele sempre tem idéias de jerico”.