Pular para o conteúdo principal

Mau português

A polêmica já tem mais de uma semana na coluna do Picôco. Ele escreveu, em bom português, “mau português”. Estava certíssimo.
Mesmo assim, como “mau” e “mal” sempre geram dúvidas, recebeu puxões de orelha de alguns leitores. Desmerecido. Pela primeira vez vi leitores corrigindo erroneamente o jornal.
Neste espaço já foi publicado, em 2006, uma explicação sobre “mau” e “mal”. Como faz tempo e a polêmica é recente, aqui vai novamente a explicação.
“Mau” pode ser adjetivo (“menino mau”) e substantivo (“os maus serão punidos”).
“Mal” pode ser advérbio (“mal educado” e “dormiu mal”), conjunção (“mal chegou, quis sair”) e também substantivo (“desse mal não sofro mais”).
Uma dica para saber qual forma escolher na hora de escrever é: “mau” opõe-se a “bom” e “mal” opõe-se a “bem”.
Disso, temos que o oposto de bom português é o mau português. Parabéns ao Picôco!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

"Nada de mais" ou "nada demais"?

A primeira forma é a correta.Nada de mais, nada de menos. Não: nada "demenos". É preciso ficar com o "de": nada de interessante, nada de importante, nada de blablablá. O "de" não é de "demais". Demais é um advérbio que significa demasiadamente, em excesso, além da conta. Não parece fazer sentido: "Isso não é nada de em excesso". Já parece fazer sentido: "Isso não é nada de mais". Mais uma: Há a locução "por demais", que significa demasiadamente, excessivamente. Vale lembrar da frase exclamativa: Isso é demais! Nesse caso, é "demais", junto assim. Não temos aqui o "nada de". Temos aqui o "isso é". Isso é demais, é incrível, é complicado, é, às vezes, difícil de explicar.
Veja neste blog a diferença entre "demais" e "de mais".