Pular para o conteúdo principal

Vírgula polêmica

Na quarta-feira, dia 5, o BOM DIA lançou a coluna “Quem sabe, sabe”.
Foi uma das duas estréias diárias dentro das comemorações de aniversário do jornal.
Antes de liberar a página para a gráfica, surgiu uma questão crucial: é com ou sem vírgula?
A discussão levou mais de meia hora porque a pergunta tem duas respostas: pode ser com vírgula ou sem ela.
A vírgula venceu. Veja o porquê:
1. Quem sabe sabe – a regra
A regra é clara e simples: sujeito e predicado não podem ser separados por vírgula. Sujeito: quem sabe. Verbo: sabe. Então, é correto dizer “quem sabe sabe”.
2. Quem sabe, sabe – a “exceção”
Em frases iniciadas pelo pronome “quem”, é permitido usar a vírgula entre sujeito e verbo por uma questão de clareza quando aparecerem dois verbos juntos ou muito próximos. No caso da coluna, é o mesmo verbo (“sabe”), por isso a opção pela clareza com a vírgula.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

‘Idéia de girico’ ou ‘idéia de jerico’?

A segunda forma é a correta. Apesar de não se aproximar tanto da fala como “girico”, palavra inexistente na língua portuguesa, jerico significa asno, jumento. No entanto, na fala é usada principalmente com o sentido de tolo, imbecil, estúpido – e pode ser dito a pessoas e coisas. Exemplo: “Ele sempre tem idéias de jerico”.