Pular para o conteúdo principal

Nova ortografia 4

Para encerrar a apresentação do que muda na ortografia do português depois do novo acordo entrar em vigor, a partir de 2009, leia hoje as poucas exceções às regras do hífen com prefixos.
Exceção à regra básica (hífen antes de palavras que começam com a letra H): subumano e subumanidade.
O prefixo co se aglutina, em geral, com a palavra que se inicia pela vogal O. Exemplos: coobrigação, cooperação, coordenação.
Com os prefixos circum e pan, há hífen antes de palavra iniciada por M, N e vogal. Exemplos: circum-navegação, pan-americano.
Usa-se sempre o hífen com os seguintes prefixos: além, aquém, ex, recém, pós, pré, pró, sem, sota, soto, vice e vizo. Exemplos: ex-prefeito, sem-terra, além-mar, recém-nascido, pós-graduação, pró-reitoria.
Não há hífen em palavras que perderam a noção de composição. Exemplos: paraquedas, paraquedista. O novo acordo ortográfico ainda não é claro sobre esse aspecto.

Comentários

pergunto se vocês poderiam postar uma explicação mais detalhada sobre o hífen após a palavra "não".
Obrigado.

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

‘Idéia de girico’ ou ‘idéia de jerico’?

A segunda forma é a correta. Apesar de não se aproximar tanto da fala como “girico”, palavra inexistente na língua portuguesa, jerico significa asno, jumento. No entanto, na fala é usada principalmente com o sentido de tolo, imbecil, estúpido – e pode ser dito a pessoas e coisas. Exemplo: “Ele sempre tem idéias de jerico”.