Pular para o conteúdo principal

A despeito de

“A despeito de mim mesmo, entro na onda da alegria eufórica das rodas sociais, dos embalos descolados da juventude em clima de aqui e agora (...).”
A frase causa um estranhamento: “a despeito de” usado no sentido de “a respeito de”. Não há como significar outra coisa muito diferente de “a respeito de”. Muito menos o real sentido de “a despeito de”: apesar de, não obstante.
O dicionário “Houaiss” registra que despeito é o “ressentimento produzido por desconsideração, desfeita, humilhação ou ofensa”. Também pode significar desgosto, decepção, pesar e até indignação, raiva, inveja e ciúme.
Já a locução “a despeito de” significa “apesar de”, como já dito. Essas duas locuções dão uma idéia oposta àquela expressa na outra parte do enunciado, contrariando uma provável expectativa. Veja um uso correto: “A despeito da crise mundial da economia, os investimentos no mercado brasileiro continuarão em um patamar alto”.

Comentários

Günter disse…
Interessante, interessante...
Seria loucução prepositiva?...
Grato,
Günter.

Postagens mais visitadas deste blog

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

"Nada de mais" ou "nada demais"?

A primeira forma é a correta.Nada de mais, nada de menos. Não: nada "demenos". É preciso ficar com o "de": nada de interessante, nada de importante, nada de blablablá. O "de" não é de "demais". Demais é um advérbio que significa demasiadamente, em excesso, além da conta. Não parece fazer sentido: "Isso não é nada de em excesso". Já parece fazer sentido: "Isso não é nada de mais". Mais uma: Há a locução "por demais", que significa demasiadamente, excessivamente. Vale lembrar da frase exclamativa: Isso é demais! Nesse caso, é "demais", junto assim. Não temos aqui o "nada de". Temos aqui o "isso é". Isso é demais, é incrível, é complicado, é, às vezes, difícil de explicar.
Veja neste blog a diferença entre "demais" e "de mais".