Pesquisar neste blog

terça-feira, 31 de maio de 2011

Acerto ou asserto?

As duas palavras existem na língua portuguesa.
Acerto significa o ato ou o dito acertado, o certo, correto. É o mesmo que acertamento, resultado da prudência, acaso feliz, sorte e ainda reparo e regulagem.
Asserto tem o sentido de opinião emitida como verdadeira ou considerada como tal. É o mesmo que asserção.

sábado, 21 de maio de 2011

"Quando eu ver o Fulano" ou "Quando eu vir o Fulano"?

A segunda forma é a correta, pois o verbo "ver" no futuro do subjuntivo é "vir". Desse modo, é preciso ter cuidado também para não dizer coisas como: "Se ela me ver" ou "Quando ela me ver". O correto é "Se ela me vir"; "Quando ela me vir"; "Quando eu vir o Fulano".

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Presidente ou presidenta?

A lei federal 2.749, de 1956, do senador Mozart Lago (1889-1974), determina o uso da forma feminina para referir-se a cargos públicos ocupados por mulheres. Com a eleição da primeira mulher à Presidência da República no Brasil, a questão passou a ser alvo de discussões entre professores, gramáticos e dicionaristas.
A polêmica em torno do uso de "presidenta" deve-se ao fato de que na língua portuguesa os substantivos terminados por -nte são comuns de dois gêneros, portanto, invariáveis: o estudante, a estudante; o atendente, a atendente, etc. Por essa lógica, o correto seria dizer "o presidente", no caso de um homem no cargo, e "a presidente", no caso de uma mulher no cargo.
No entanto, alguns linguistas da USP, como Marcelo Módolo e Elis Cardoso de Almeida, ponderam, citando que a forma "presidenta" é um termo antigo, que já existia desde o dicionário de Cândido Figueiredo (1899). Além disso, a palavra no feminino já consta no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp) e no Houaiss. Esses linguistas, embora prefiram o uso de "a presidente", defendem que as duas formas são válidas e que a preferência é quem irá resolver a questão na situação comunicativa. De acordo com o gramático Ataliba de Castilho, pode ser que um termo chegue até a substituir o anterior, pois "o uso é o senhor da língua".

quinta-feira, 19 de maio de 2011

"Seja qual fosse" ou "fosse qual fosse"?

A segunda forma é a correta.
"Seja qual for" é expressão consagrada. Mas e se precisarmos usá-la no passado? Como fica: "seja qual fosse" ou "fosse qual fosse"?
A dúvida foi enviada à Academia Brasileira de Letras, pela seção ABL Responde, que esclareceu a questão da seguinte forma (com exemplos meus inseridos entre chaves):
Resposta : Telma, na construção "seja qual fosse" quebra-se o princípio de "correlação de tempos e modos verbais", que deve ser observado em frases como as citadas por você [Exemplos: "Seja qual fosse a dúvida, ele sempre teve a resposta na ponta da língua", "Fosse qual fosse a dúvida, ele sempre teve a resposta na ponta da língua".]. Se o primeiro verbo está no pretérito imperfeito do subjuntivo ("fosse"), deve-se manter o segundo também no imperfeito do mesmo modo verbal: "fosse qual fosse".