Pesquisar neste blog

domingo, 30 de março de 2008

Ironia

Um colega de trabalho que foi contrariado por outro mais velho chama-o respeitosamente de ancião.
Quem acredita que realmente “ancião” foi usado com o sentido respeitoso?
Em um curso, a jornalista Mariana Duccini resumiu perfeitamente o conceito de ironia: o enunciado diz, mas a enunciação nega.
O enunciado é a manifestação por palavras ou qualquer texto, verbal ou escrito. A enunciação é a forma de manifestar os pensamentos por palavras, é produzir um enunciado.
As palavras dizem, mas o contexto em que elas são ditas mostra exatamente o contrário do sentido delas. Foi o caso do “ancião”.
A ironia é um artifício inteligente de contrastes, pois deixa aparente a distância intencional entre o que foi dito e o que foi realmente pensado. Exige perícia de quem de quem lê ou escuta para identificar e ter certeza de que um enunciado é irônico.
Ancião é uma pessoa de idade avançada e, por isso, pode ser considerada respeitável ou antiquada. Depende da intenção e do contexto.

domingo, 23 de março de 2008

Porcentagem

O leitor puxou a orelha do BOM DIA com razão. O erro foi em um título publicado dia 16/3: “Em 20 anos, 60% da água do mundo serão impróprias”. Além da notícia um tanto quanto assustadora, o erro de concordância na porcentagem também chama a atenção.

Em porcentagem, o verbo concorda com o número (40% são, 1% é). Se o número for acompanhado por um substantivo que o especifique (40% dos juros, 1% das taxas), a concordância é feita com esse substantivo em gênero (masculino/feminino) e número (singular/plural). Veja exemplos das combinações possíveis:

- 1% é gasto;
- 1% da água é limpa, 1% do gasto é justificado, 1% das luzes são azuis, 1% dos erros não são vistos;
- 60% são gastos;
- 60% da água será imprópria, 60% do dia é de sol, 60% das horas são marcadas, 60% dos livros estão lá.

Adequando a concordância do título que foi publicado com erro, temos: “Em 20 anos, 60% da água do mundo será imprópria”.

domingo, 16 de março de 2008

A todos ou à todos?

A primeira forma é a correta, sem crase. Relembrando, a crase marca a fusão do artigo “a(s)” com a preposição “a”. A palavra “todos” é um pronome indefinido plural e significa todo mundo, todas as pessoas. Como os pronomes não são acompanhados de artigos, aquele “a” que tem antes de “todos” é somente preposição, portanto, sem crase.

Ensimesmado ou sismemado?

A primeira forma é a correta. O adjetivo ensimesmado significa concentrado, recolhido, voltado para dentro de si mesmo. Vem do verbo pronominal ensimesmar-se. É fácil de lembrar porque se assemelha a “em si mesmo”, que já dá a idéia de recolhimento, concentração.
Uma curiosidade: ensimesmar-se entrou no português há mais de um século vindo do espanhol “ensimismar(se)”.

domingo, 9 de março de 2008

Concordância com idéias

É difícil acertar todas ao escrevermos idéias com a gramática das palavras. Idéias de coletividade expressas por uma palavra no singular e vice-versa suscitam a confusão na hora da concordância.

Leia estes dois casos retirados das páginas do BOM DIA:

1. “No apartamento foram encontrados um arsenal.” (texto)
2. “Casos de meningite supera 2007” (título de nota)

Em 1, o verbo está no plural, mas o sujeito, que tem sentido de conjunto de armas, é singular. Erro.

Em 2, o sujeito é plural, mas o verbo está no singular. Erro também. Casos superam. No entanto, percebemos que quem escreveu pensou algo assim: “2008 supera 2007 nos casos de meningite, logo, casos de meningite de 2008 supera 2007”. Até explica, mas não justifica.

Além da concordância, há outro erro. Falta paralelismo ao comparar casos de 2008 com o ano de 2007, não com os casos de 2007. O título deveria ser: “Casos de meningite superam os de 2007”.

Para não errar, releia sempre.

domingo, 2 de março de 2008

Louva-a-deus ou louva-deus?

As duas formas estão corretas. Os dicionários e o Volp (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa) registram ambas, mas “louva-a-deus” é considerada a forma preferencial, isto é, apesar de reconhecer a grafia “louva-deus”, esta não deve ter a preferência na hora da escrita. Para o plural, a palavra não varia: os louva-a-deus.

O lengalenga ou a lengalenga?

A segunda forma é a correta. Lengalenga – escrita assim mesmo, sem hífen – é um substantivo feminino. Significa, de acordo com o dicionário “Houaiss”, conversa, narrativa ou peça de oratória enfadonha e monótona. Por extensão de sentido, também é tudo o que é demorado e fastidioso. É sinônimo de ladainha, lamúria e lenda, todas palavras igualmente femininas.