Pesquisar neste blog

domingo, 17 de setembro de 2006

Saudações

Todas as cidades, especialmente as turísticas, desejam receber bem seus visitantes. Na entrada de muitas delas, lemos algumas saudações que “assustam” o visitante pela forma como são escritas. Bem vindo, bemvindo ou bem-vindo? Com ou sem crase no “a” que vem depois? Vamos entender como isso funciona.

1. Para receber bem, a saudação é “bem-vindo”. O advérbio “bem” passa a ter valor de prefixo, e, como tal, para se ligar à palavra seguinte, precisa do hífen na formação de uma palavra composta. Seu plural fica assim: “bem-vindos”. É bom lembrar que a forma “Benvindo” serve somente para nome de pessoas.

2. Agora, “bem-vindo a” ou “bem-vindo à”? A crase, como já sabemos, ocorre na presença da preposição “a” e do artigo “a(s)”. Deste modo, se a palavra que vier depois for feminina e precisar de um artigo, haverá crase. Exemplo: “Bem-vindo à Bahia!”. Se a palavra for masculina e também pedir o artigo, ficará assim: “Bem-vindo ao Rio Grande do Sul!”.

3. Se a palavra não precisar de um artigo, teremos somente a preposição, portanto, não haverá possibilidade de crase. Exemplo: “Bem-vindo a Águas de Lindóia!”. Este caso é o mais comum para os nomes das cidades, sem artigo, logo, sem crase.

4. Sabendo de tudo isso, já podemos receber com boas-vindas sem escorregar no português.

Nenhum comentário: